quarta-feira, 1 de outubro de 2014

É a minha cabeça. O pensamento.
Trancado, a doer de calor.
Se paro por instantes, e distraída o deixo entrar,
toma forma (de tal forma),
que não se vai.
Igualmente como se nunca tivesse partido.

Sem comentários:

Enviar um comentário